(Re) Habilitar
  • Livro: História da Enfermagem – Versões e Interpretações

    Publicado em 21/11/2018 às 00:07

    Desenvolvido a partir de dissertações para o curso e mestrado da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), História da Enfermagem – Versões e Interpretações, desde  lançamento de sua primeira edição em 1995, vem adquirindo o status de clássico, no sentido de obra consagrada, pelo lugar que ocupa como referência para os estudos da História da Enfermagem brasileira. A obra tem sustentação em bases filosóficas, análises documentais criteriosas e avaliação crítica dos fatos socioculturais, políticos e históricos discorridos de forma clara, lógica e contundente.

    Nesta quarta edição, estão presentes nos textos de Telma Geovanini, Almeida Moreira, Soraia Dornelles e Wiliam Machado questões essenciais para a compreensão e escolha de caminhos para a Enfermagem: suas origens, ideologias, formas de organização, fragilidades e potencialidades, todas sustentadas pelos aspectos sociais e históricas que lhes foram e são determinantes ou coadjuvantes. Por tudo isso hoje esta obra tornou-se um clássico obrigatório, adotada em todos os currículos de Enfermagem no Brasil.

    Para saber mais sobre o livro, envie um e-mail para: rehabilitar@contato.ufsc.br ou clique aqui.


  • Defesa de Dissertação de Mestrado: Ana Carolina Zanchet Cavalli

    Publicado em 19/11/2018 às 11:50

    A defesa de dissertação de Mestrado intutulada: “Avaliação da funcionalidade a partir do Escore de Perme na UTI” de Ana Carolina Zanchet Cavalli, orientada pela Profª Drª Soraia Dornelles Schoeller ocorreu dia 13 de novembro de 2018.

    Perme Intensive Care Unit Mobility Score é uma escala utilizada na UTI para mensurar de forma objetiva, a condição de mobilidade do paciente internado. Essa escala de mobilidade apresenta um escore que varia de 0 (baixa mobilidade e alta dependência) a 32 (alta mobilidade e baixa dependência) pontos, divididos em 15 itens, agrupados em 7 categorias, sendo elas: estado mental, potenciais barreiras a mobilidade, força funcional, mobilidade no leito, transferências, dispositivos de auxílio para deambulação e medidas de resistência (KAWAGUCHI; et al, 2016).

    Referência: KAWAGUCHI, Yurika Maria Fogaça; et al. Perme Intensive Care Unit Mobility Score e ICU Mobility Scale: tradução e adaptação cultural para a língua portuguesa falada no Brasil. São Paulo: J. bras. pneumol, v 42, n 06, 2016.


  • Qualificação de Mestrado: Milena Amorim Zuchetto

    Publicado em 29/10/2018 às 16:46

    Nesta segunda-feira (29) ocorreu a qualificação do Projeto de Mestrado da aluna Milena Zuchetto intitulado “Cuidado de enfermagem de reabilitação como processo emancipatório”. Este projeto tem por finalidade construir um processo de reflexão sobre o cuidado de enfermagem de reabilitação, adotando a pesquisação calcada no materialismo histórico-dialético, fundamentado na Teoria do Reconhecimento de Axell Honneth atravessada pelo Princípio da Esperança de Ernst Bloch.

    A banca de qualificação foi composta por: Cristine Moraes Roos, Dulcinéia Ghizoni Schneider, Luiz Gustavo da Cunha de Souza e Caroline Porcelis Vargas. O projeto foi orientado pela Profª Draª Soraia Dornelles Schoeller, visando a reflexão sobre o cuidado de enfermagem exercido no contexto da reabilitação em centros especializados no estado de Santa Catarina.

     

     


  • Diretrizes de Atenção à Reabilitação da Pessoa com AVC

    Publicado em 27/10/2018 às 18:19

    Nos dias 24, 25 e 26 de outubro ocorreu o I Simpósio de Acidente Vascular Cerebral organizado pelo Hospital Governador Celso Ramos. O evento foi gratuito e aberto ao público externo. O marco deste evento foi o destaque à importância do conhecimento das Diretrizes de Atenção à Reabilitação da Pessoa com Acidente Vascular Cerebral.

    O Ministério da Saúde disponibiliza gratuitamente o material digital. Você pode acessar o PDF clicando aqui.

    A reabilitação precoce é recomendada para as pessoas que sofreram AVC, pois objetiva-se minimizar as incapacidades, evitar possíveis sequelas e permitir que este indivíduo retorne às suas atividades anteriores ao episódio. A reabilitação busca intervir nas condições mais comuns relacionadas ao AVC, tais como a afasia, dispraxia oral e de fala, disartria, disfagia, paralisia facial, alterações visuais, fraqueza muscular, déficits de sensibilidade, limitações de atividades motoras e funcionais, limitação de atividade de vida diária, cognição e distúrbios de humor.

    A diretriz também apresenta as principais intervenções aplicadas nas complicações relacionadas ao AVC, sendo elas a espasticidade, contratura, subluxação de ombro, dor no ombro, síndrome complexa regional dolorosa tipo 1 ou distrofia simpático reflexa, edemas nas extremidades, déficit do condicionamento cardiorrespiratório, pneumonia aspirativa, trombose venosa profunda, fadiga, úlceras por pressão e quedas.

    Referência: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes de atenção à reabilitação da pessoa com acidente vascular cerebral. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.


  • Aniversário da Profª Drª Soraia Dornelles Schoeller

    Publicado em 25/10/2018 às 19:58

    Nesta quinta-feira (25), foi organizado pelo grupo (Re) Habilitar uma festa surpresa para a Profª Drª Soraia Dornelles Schoeller.

    Que além dos aniversários e através do sempre, você seja muito feliz. Parabéns!

    Aproveitamos o momento para celebrar e também definir nosso planejamento para 2019. Em breve, novas informações!

    Os deliciosos aperitivos saudáveis foram disponibilizados pelo Sabor das Cores.


  • Inspiração: Florence Nightingale

    Publicado em 24/10/2018 às 00:45

    O estilo revolucionário de Florence Nightingale durante a guerra da Criméia foi fundamental na lapidação do que se entendia por enfermagem. Em seus escritos, o cuidado focado na reabilitação dos feridos em guerra era evidenciado por suas intervenções, pois em 1859, já compreendia a influência do ambiente físico, social, fatores psicológicos na reinserção do ferido na sociedade. O sucesso da recuperação do enfermo se dava pela garantia de ar puro, claridade, aquecimento, silêncio, limpeza do ambiente, pontualidade da equipe, higiene da pele, roupas de cama limpas e assistência na oferta da dieta. Durante a guerra, suas ações reduziram a taxa de mortalidade de 42% para 2%. A comprovação de sua eficiência rendeu a designação de “Dama da Lâmpada”. Sua atuação na guerra também contribuiu em três áreas da medicina contemporânea: o controle de infecção hospitalar, a epidemiologia e os cuidados paliativos¹.

    O que podemos aprender com Florence Nightingale?

    • A importância do registro: mesmo sendo uma das responsabilidades e deveres do enfermeiro, previstos no Art. 25 do Código de Ética de Enfermagem (registrar no prontuário do paciente as informações inerentes e indispensáveis ao processo de cuidar), registrar ainda é um ato falho. O registro de enfermagem possibilita ao enfermeiro a comprovação da prestação de sua assistência, respaldo perante a lei, contribui para a segurança do paciente, permite a coleta de informações em pesquisas científicas e auxilia o trabalho de auditoria e faturamento. Registre!
    • Sede de conhecimento: Florence, além de enfermeira, possuía conhecimento nas áreas de matemática, estatística, latim, grego, línguas modernas e artes. Apesar da origem nobre, Florence vivia em uma época onde a informação não era acessível a todas as pessoas e não existia internet. Mesmo com um celular em mãos e a capacidade de acessar todo e qualquer tipo de conteúdo, nos limitamos à futilidades cotidianas. Otimize seu tempo!
    • O ser humano é singular, integral, indivisível e insubstituível: os princípios da reabilitação permitem ao indivíduo, por meio de uma assistência individualizada, a implementação de cuidados que incluem a família para a readaptação de uma nova realidade, buscando como meta, a máxima independência e a possibilidade de gerar autocuidado². Florence acreditava que o objetivo da enfermagem é propiciar ao ser humano as melhores condições, inclusive do meio ambiente, a fim de que o “poder vital” possa ser potencializado para um viver saudável¹.

    Referências Bibliográficas:

    ¹ SILVA, José Vitor da; BRAGA, Cristiane Giffoni. Teorias de Enfermagem. São Paulo: Iátria, 2011.
    ² FARO, Ana Cristina Mancussi. Enfermagem em Reabilitação: ampliando os horizontes, legitimando o saber. São Paulo: Rev Esc Enferm USP, v 40, n 1, 2006.

     


  • Ação Conjunta com a Rede Brasil AVC

    Publicado em 19/10/2018 às 18:30

    Nos dias 19, 20 e 21 de outubro uma grande ação em prol da sensibilização ao Acidente Vascular Cerebral foi organizada pela Rede Brasil AVC e coordenada pela Dra. Gladys L. Martins.

    Os expositores foram alocados no Beiramar Shopping, em frente ao Supermercado Imperatriz.

    Os integrantes do grupo (Re) Habilitar participaram do evento e abordaram os transeuntes, informando sobre o que é o AVC, os principais sintomas, o que fazer em um caso de emergência e como diminuir o risco de sofrer um AVC.

    Além das informações adquiridas um grande grupo aferiu a pressão arterial e glicemia capilar.

    Os jovens também marcaram presença e aprenderam que também podem salvar vidas!


  • Dica de Filme: Tempo de Despertar

    Publicado em 19/10/2018 às 00:49

    Que tal aquecer o coração com um belo filme indicado pelo Re Habilitar?

    Tempo de despertar (Awakenings) é um filme baseado em uma história real que ocorreu no Bronx (EUA) em 1969. O médico pesquisador Malcom Sayer (Robin Williams) é contratado pelo Hospital Psiquiátrico Bainbridge para tratar um grupo de pacientes diagnosticados com demência de etiologia desconhecida. O filme também apresenta a história do fármaco Levodopa (L-Dopa).

    Contribuição acadêmica e profissional: Mesmo em um grupo de pacientes paliativos, o médico elaborou diversas estratégias lúdicas, baseadas no raciocínio clínico com uma abordagem humanizada para reabilitar e promover a independência dos pacientes.

    Disponível na Netflix? Sim
    Elenco: Robert De Niro, Robin Williams, Julie Kavner
    Direção: Penny Marshall
    Ano: 1990
    Gênero: Drama
    Duração: 2h 1m


  • Oficina de Neurofisiopatologia aplicada à Enfermagem

    Publicado em 08/10/2018 às 16:46

    Boa tarde!

    Gostariamos de convidar você para nossa oficina:

     Neurofisiopatologia aplicada à Enfermagem

     15.10 das 17:30 às 20:30

    mini auditório da pós-graduação

    bloco I – CCS

    Inscrições pelo e-mail: rehabilitar@gmail.com

    Com certificado de horas

    Investimento de 10 reais.

    Te esperamos! 


  • Desafios da acessibilidade no campus universitário da UFSC: transformando a realidade

    Publicado em 04/10/2018 às 14:31

    Projeto de extensão do grupo coordenado pela Professora Doutora Luciana Neves da Silva Bampi.

    Objetivo: Promover ações educativas de inclusão social e física, acessibilidade, visando tornar o Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) mais acessível à comunidade.

    Método: Atividades de sensibilização e de educação desenvolvidas com estudantes de graduação.

    Os estudantes de graduação da UFSC serão convidados a participar de uma roda de conversa sobre a temática acessibilidade com registro visual (fotografia e filmagem) sobre a acessibilidade no Campus Universitário. Incluindo uma atividade chamada “Um Dia Diferente” em que os participantes serão convidados a estar no lugar de pessoas diferentes ou deficientes em atividades no campus universitário (simulação) e  convidados a refletir mediante as atividades do laboratório de sensibilização, as facilidades e as dificuldades encontradas no cotidiano do campus sendo diferente ou deficiente e possíveis intervenções nessa realidade.

    Em um momento de conclusão os participantes serão convidados a auxiliar na confecção de material educativo (folder) e de um filme documentário que serão utilizados na sensibilização de outros coletivos e na divulgação do projeto.
    Os resultados esperados são contribuir para a mudança cultural, de respeito as diferenças e de inclusão social, hoje empreendida pela UFSC. E produzir material educativo e filme-documentário.